carta ao meu bebé

maternidade1

querido valentim,

chegará o dia em que perceberás que o mundo não é apenas o amor e os elogios dos papás, a segurança do lar e a inocência das brincadeiras no parque. chegará o dia em que o mundo irá exigir que sejas suficientemente atraente e inteligente. o mundo irá exigir que tenhas prestígio e sucesso nos negócios. o mundo vai-te dizer que se não tiveres estes atributos, é porque não tens valor. o mundo vai-te rotular como falhado ou pessoa de menor importância. é verdade meu filho, este mundo é cruel. irás conhecer a palavra competitividade, e irás sentir que foste atirado para uma arena onde tudo vale para se sair vencedor. gostava que soubesses exatamente em que tipo de mundo vives, para que estejas preparado para enfrentares todas estas coisas, mas também gostava que soubesses que o teu valor não está nos olhos dos outros, mas em ti.

o mundo vai-te ensinar que o que define a nossa vida são as coisas que nós temos. espero que aprendas com a tua mamã que o que nos define é o que nós somos.

segue o teu coração, sê gentil e bondoso com os outros, procura a beleza em cada detalhe da tua vida, sê feliz com o que tens, foca no que é importante, aprende a apreciar a tua autenticidade, e o teu valor pessoal irá brilhar no mundo, sejam quais forem as circunstâncias da tua vida.

chegará o dia em que os meninos na escola irão magoar-te com palavras, pode ser que alguém tente destruir um sonho teu dizendo que não és capaz, poderá acontecer de um patrão te chamar de incompetente. as pessoas irão ser cruéis, rudes e agressivas contigo em algum momento da tua vida, mas quero que saibas que nada disso terá importância, porque eu, que sou a tua mãe, terei sempre amor suficiente para compensar todas as tuas decepções, tristezas e desgostos. porque quando nasceste estavas nu, não tinhas nada. eras só tu. e eu amei-te tal como és desde o instante em que te conheci. amo-te sem esperar nada de ti. amo-te só por amar. e esse amor é maior que tudo o que o mundo tenha a dizer sobre ti.

com amor,

a tua mamã